Tecnologia do Blogger.

05/10/2009

Um mundo sem homofobia. É PRECISO acreditar!

Apesar de ter minhas reticências em relaçao a Copa de 2014 e a Rio 2016, acho que esses dois fatos podem nos mostrar uma coisa. Podemos mudar sim, se quisermos realmente. Estas escolhas deram um “up” na questão do SONHAR e acreditar nas possibilidade. Na história da humanidade, são esses momentos de patriotismo que geram as grandes mudanças...algumas pra melhor, outras para pior. Mas esperemos que esse não seja o caso.

Baseado nisso, resolvi escrever uma história fictícia, para mostrar que o tal mundo “sem homofobia” pode não ser tão distante. Não estou ignorando ou desmerecendo as questões trágicas e absurdas que vêm acontecendo em alguns locais, mas sim, tentando dar uma força para que se acredite em uma possibilidade e não se desista, pq ela é SIM POSSIVEL.

Se nos EUA eles tiveram o “YES WE CAN” do Obama, temos aqui o “Yes We Créu”, que rolou no Twitter. Ele pode não ter salvo o mundo (Obama), mas deu um “up” na galera. Vamos usar esse momento pra tentar tb alcançar os demais países nestas questões, acabando com essa praga social da homofobia, até que ela seja uma pagina nos livros de história, como tantos outros momentos de absurdo que lemos na história moderna. É...pode ser doloroso, mas precisamos evoluir enquanto sociedade. É como deixar de ser adolescente e ser adulta. Envolve lutos e dá trabalho, mas é preciso.

Então, voltemos a história fictícia de Jorge e Alfredo. Ambos têm um filho adotivo, chamado Lorenzo. Mantem uma vida pacata e tranquila, onde as relações sociais envolvem sempre situações que possam envolver o filho. Desde passeios no calçadão local até almoços domincais no shopping. Uma coisa meio enredo batido de novela (rs)

Se fosse uma história em uma sociedade infantil demais (imatura coletivamente), Jorge, Alfredo e Lorenzo receberiam todo o tipo de preconceito e a situação poderia ser complicada mesmo. Ainda existem alguns locais assim, e infelizmente, esses precisarão passar por “duas fases” de forma mais rápida. (da infância a fase adulta social, em apenas aluns anos)

Mas essa situação do conto acontece diferente. O trio costuma passar por momentos que mostram que pode haver sim algo mudando e que tem-se que ter mais força mesmo. Algumas situações interessantes serão descritas aqui.

Em uma viagem em família, uma atendente de check in percebeu a relação do trio. Como Lorenzo é uma criança muito “comunicativa”, a querida moça fez uma surpresa. Ao entrarem no avião, haviam sido “upgradados” para primeira classe.

Em quase todos os vôos que pegam, todas as equipes de comissárias se aproximavam e já houve situações de brigas entre elas para decidir quem daria mamadeira ou quem perguntaria mais coisas sobre a criança, a relação e a adoção. Voar é sempre uma aventura.

É interessante perceber que as reações são bem imediatas e espontâneas. As pessoas são pegas de surpresa. Como Lorenzo tem traços orientais, Jorge uma mistura brasileira, e Alfredo um alemão caricato, não tem como se identificar a trupe quando andam juntos. Daria até pra colocar uma filmadora no carrinho para que todos pudessem ver isso. (risos)

Por inúmeras questões, como casos de adoção que a mídia divulga internacionalmente, de alguma maneira o inconsciente coletivo identifica logo Lorenzo. E como consequencia, os pais. Isso ATRAÍ algumas pessoas. Em um aeroporto, uma pessoa se aproximou, perguntou o nome da criança, sentou ao lado deles e parabenizou pela adoção. Nenhuma palavra foi dita e toda a comunicação alí foi insconsciente. (ou mesmo pré-consciente)

Quando vão ao shopping aos Domingos, e um dos pais com o carinho, o outro anda com a bolsa, e isso tb informa a quem está passando o que acontece por alí. Praça de alimentação é sempre interessante. Enquanto um come, o outro precisa dar comida a criança, e depois trocam para que o outro faça a refeição. Isso é o suficiente para as pessoas olharem, darem tchau, sorrirem alegremente com um olhar de aprovação. Alguns se aproximam e brincam com a criança. Pouco se pergunta...os inconscientes já se comunicaram alí há muito tempo.

Comprar qualquer produto tb é sempre interessante. Como as decisões são sempre em conjunto, todos percebem e atendem com um soriso lindo no rosto. Brincam, são mais simpáticos, ajudam, mas não fazem perguntas. São muito educados e muito atenciosos.São sempre discretos.

Supermercados são ótimos também. O caixa especial diz “mulheres com crianças de colo”. Que coisa mais machista! Só mulher vao ao mercado? E pq somente elas carregariam as crianças? Entrar na fila é sempre interessante. As pessoas olham, dão “oi” sem você as conhecer e já começam a perguntar sobre o menino.

E assim termina esse conto, que possuí ainda outras dezenas de situações diárias que mostram que a homofobia pode ser combatida sim, se mostrarmos sempre dignidade e respeito. É respeitando o Outro que temos respeito. Tudo é uma questão de POSTURA! Muito disso tb se deve ao fato de Lorenzo ser nitidamente uma criança bem cuidada, amada, saudável e feliz, e um sorriso desses quebra qualquer preconceito, até mesmo o mais enraizado.

Isso me faz lembrar a propaganda da Nebacetin, que passou pouco tempo no ar, mas mostra uma sociedade mais adulta, evoluída. Um local com mais segurança e com igualdades. Talvez como um local bom para se sediar um jogo olímpico e uma copa do mundo.

Se Yes We Créu e “Yes They Can” (EUA), podemos tentar também um “Sim Nós Podemos” e evoluirmos enquanto sociedade, erradicando esse nojo chamado homobofia e termos locais decentes para vivermos e sediarmos eventos importantes. Aproveitemos o nosso patriotismo para arrumar a casa então.


5 comentários:

Monique Cruz disse...

Excelente a propaganda, me emocionei quando vi, já estamos mudando... mesmo que em prol do comercio... rs
Seu texto tb, sem comentários. Gosto de meninos, "sou hetero" (detesto esses termos) sou humana como você, como meu parceiro, como meus amigos gays, e quero um mundo melhor, por isso apoio a luta para que vivamos numa sociedade sem homofobia!
Bjs

LuísFelipeFlôr disse...

Eu penso e acredito que será assim. Farei o que estiver ao meu alcance para que assim seja!

Nice Psissico disse...

Edu como sempre brilhante! e nada como esta sua "ficção" pra nos mostrar uma realidade q poderia ser sempre assim cheia de carinho e esplendor! Bjão!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Adorei o texto.
Pra mim tem sabor de café forte, sacudida na cabeça, aquele que faz a
pessoa que lê acordar.

Eh bem por ai, o ponto de vista que realmente "We Can".
Cada ser representando uma célula que se regenera, se purifica em um
corpo que está doente.
O corpo (sociedade) precisa dessa regeneração para sobreviver.

E como consequência outras células se regeneram também.
Transformando uma atitude inovadora em algo comum. Fora assim no
passado (direito dos negros, libertação feminina, etc), tem que ser
agora também.

A carga de preconceitos não é pequena.
O peso do preconceito contra a relação homossexual, aliada ao peso do
preconceito contra uma criança adotada.
Porém a postura de dignidade e o amor entre vocês é uma coisa tão
grande que transcende quaisquer formas de idéias pre-concebidas.
O recado dado a quem os observa: amor não tem idade, não tem cor, não
tem sexo, não tem sangue.
Qual mau conceito pré-estabelecido sobrevive a uma demonstração de
amor dessa magnitude? Nenhum.

As pessoas demonstram ter capacidade de absorver nossa essência e de
demover a visão superficial.
Sementes plantadas um dia germinam. E a felicidade estampada no
rostinho do Lorenzo é o semeador desta história. Sementes de amor, de
felicidade e de aceitação.
Temos sim que sonhar por um mundo melhor. E batalhar por ele, isso é
evolução humana.

Mto lindo o seu futuro post, adorei.
Aprovado e assino embaixo rs.

Silvia ou Sheeva?? disse...

Pois eh... Que bom q o Lorenzo nao tem sofrido discriminacao, e esperamos q nao sofra.
Pelo menos, nao pela sua configuracao familiar...
Pq, infelizmente, sempre ha discriminação no mundo, principalmente no escolar/infantil.
Esse eh cruel! Da tanto medo de jogar nossas lindas e protegidas crias naquelas selvas coloridas... :|
Mas eles precisam. E vão! E crescem...
E q Lorenzo e seus pais sejam SEMPRE felizes! ;)

Postar um comentário

Escreva o que quiser, mas lembre-se que não sou um vaso sanitário :)

  ©Inconsciente Aberto - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo