Tecnologia do Blogger.

17/06/2010

Minha primeira festa Emo

Essa é uma obra de ficção, que o assim se caracteriza pela quantidade de álcool ingerido pelo escritor no momento da festa.

Depois de algumas aplicações de botox e muitos meses sem sair, resolvi que precisava dançar. Tudo preparado, figurino muito emo-uk, pé na estrada. Primeira parada em um bar com música MPB...muito valentine’s Day. Recebo uma mensagem no blackberry Messenger sobre uma “secret party”.....claro que me perdí para achar, mas encontrei.

Foi aí que me caiu a ficha de algo que há meses eu me questionei em alguns posts aqui, em outros blogs, e outros locais. A finalidade dos chamados “Emos”.

Nessa festa havia de tudo um pouco. Homos, heteros, bis, pans, trans, roqueiros, metaleiros. De todas as idades e gostos musicais e principalmente de vestimenta. Ví pessoas que pareciam ter saído de um filme futurista até pessoas transvestidas, pessoas com roupas simples, complexs, pessoas altas, magras, cabelos coloridos. De tudo um pouco que sempre vi em “cenas” separadas.
Há algum tempo escrevi sobre as gerações e sua importância, e repito abaixo:

Quem eram os hippies? Brigavam pelo que? Liberdade. Depois, o Rock n roll e sua juventude transviada. Tem tb os NT – Novas Tendências dos anos 80 e depois os GLS dos anos 90. Todos esses grupos de jovens trouxeram contribuições culturais muito boas para o nosso país. Influências positivas em questões comportamentais e sociais. Porque não darmos a voz a esses movimentos das gerações mais novas. Se já aprendemos que esse contato com os jovens é benéfico a sociedade, porque insistimos em combater a ele ainda? (Não entram aqui as agremiações ou aglomerações de jovens com objetivos perversos ou de qualquer detrimento a outrem)


Entendí que os chamados EMOS são na verdade uma verdadeira geração de ACEITACAO. Quando os GLS e depois BTXYZ surgiram, buscando igualdade, respeito, segurança, etc, eles surgiram separados e em locais específicos. Foram importante para que os Emos pudessem vir depois e UNIFICAR tudo isso com a cena, tirando essa questão tal clássica de gueto.

Não estou menosprezando violências e ataques que sofrem, pois sei disso e repudio. Só queria escrever sobre o fato de, finalmente, EU ter entendido a finalidade social e histórica desse movimento e em como eu lembrarei deles no futuro.

O q importa é que me divertí MUITO, em um espaço que me lembrou o conceito mundial de CONVIVENCIA. 




1 comentários:

batatinharsf disse...

Realmente tinha figuras para tudo que é tipo de álbum. Uma coleção infinita de vestimentas, cabelos, roupas. Eu nem sei o que era naquela festa, talvez uma emo-rockeira se é que isso existe ou apenas uma perdida tentando me achar no meio da multidão. Sei que meu figurino estaria ótimo mesmo se estivesse no porão... toda de preto e ainda com meia arrastãoooo... e tinha vários modelos lá! A que eu mais gostei foi a de lacinho... de um emo com bermudinha e suspensório...Sem contar na coleção de Ray ban estilo emo! Só não descobri o que tinha de secreto na festa? Por que secret party?

Postar um comentário

Escreva o que quiser, mas lembre-se que não sou um vaso sanitário :)

  ©Inconsciente Aberto - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo