Tecnologia do Blogger.

18/08/2009

Arrastaram-me para o Inferno 2x Hoje…

Sim..fui duplamente visitar o inferno hoje, e não há qualquer relação com a briga entre igreja x ibope.

Como hoje é meu dayoff, como de costume, fui ao cinema. Infelizmente, “Bruno” não estava em cartaz ainda e só sobrou “Arrasta-me para o Inferno”( Drag me to Hell). Ví o trailer há algumas semanas e apesar de não ser muito fã do gênero de terror, achei que valeria a pena.

Ao chegar no shopping senti um bafo no pescoço...e nesse sentido, não era nada agradável. Vale ressaltar que me encontro no meio da Amazônia, onde atualmente é VERÃO e as temperaturas passam facilmente dos 40C. Perguntei ao segurança e fui informado que desde DOMINGO o ar condicionado estava com problemas e todos os clientes ganharam de bônus essa sauna, 0800.

Após almoçar fui para o cinema, e um aviso dizia. “Devido a problemas com o AC do shopping, algumas salas encontram-se em temperatura ambiente”. Porrraaaaaa.....ambiente do Saara de camelo é rola! Em um local com a temperatura na qual nos encontramos, “ambiente” é o suficiente para desidratar uma pessoa em menos de 30 minutos. Questionei a atendente e, como eu não havia mijado em uma cruz, a sala na qual eu assistiria o filme o AC estava funcionando. Pollyanamente, achei que estava com sorte.

Pelo horário, 13h, não esperava realmente muitas pessoas. Ótimo! Comentei aqui, recentemente, que odeio pessoas “interativas”. Isso, aquelas que gostam de conversar com os personagens na telona, com frase dos tipo “- Vai....corre....tá alí.....sua burra”. Coisa bastante comum nos dias de hoje. (é a falta de educação habitual do brasileiro).

O primeiro momento no qual fui levado ao inferno, e por incrível que pareça, não encontrei nenhum bispo por lá, foi com o enredo do filme. Pelo amor de Cher...NÃO ASSISTAM ESSE FILME. Acho que até a versão tupiniquim de Ugly Betty consegue ser mais interessante. É BORING demais. Beira o ridículo de tão TRASH. As cenas de luta com a “senhora demônio” parecem as da Amy Winehouse do Pânico. Porém, sem a intenção de serem debochadas. As, no máximo, 12 pessoas que estavam no cinema conosco, riam, riam, riam e não se aguentavam.....achei que estava assistindo a uma comédia mesmo.

Aproveitei o tempo para organizar a mochila, atualizar a agenda, ver os compromissos de amanhã...enquanto a chatice óbvia acontecia. Dava pra prever até as falas de tão banal que o filme se tornou. Porém, como não seria surpresa, as pessoas “interativas” começaram a atuar. Ao fundo, duas meninas ou tinham orgasmos múltiplos ou estavam drogadas, pq davam gritos desesperados como se estivessem sendo esfaqueadas....isso nas cenas onde a personagem principal pedia um aumento ao patrão. Nada de engraçado, de suspense ou qq outra coisa...uma dessas cenas para alongar o filme.

Depois disso, o ápice da minha visita ao mundo de Hades foi quando a porta voz dos infernos resolveu se pronunciar. Sabe aqueles toques de celular de POBRE anos 90...totalmente analógico, que lembram os telefones pré-históricos da sua avózinha? Sim...tocou...tocou...tocou...até ela perceber que era o dela. Como se mais alguém tivesse coragem de usar esses toques nos dias de hoje. Ao atender, a ligação perdurou por mais de 10 minutos.

- “oi fulanaaaaaaaaa... Como ela tá? Já tomou a medicação? Que que o médico disse… Ah.....seii....não me diiiiiiiiiiiiiiiiiiiga. Credo! Olha...liga pra ciclana e diz que beltrano vai lá hoje. E a pressão? Deixa eu falar com ele.....Oi Dr Beltrano....Tá.....blablablablablablablablablablablablabla” - e assim continuou longamente, como se estivesse tomando seu café instantâneo na varanda de casa.

Após alguns minutos, resolvi me levantar e pedir para que ou falasse um pouco mais baixo ou que desligasse o celular, que aquele não era o local apropriado. Claro que usei meu tom Parker Bowles de ser e obtive a seguinte resposta:

- “seu insensível...minha irmã está morrendo no hospital e eu estava conversando com meus parentes que estão lá acompanhando o boletim médico.”

Educadamente pedi então que se retirasse da sala para continuar, já que era algo realmente importante...mas...a conversa continuou até que todo o boletim fosse detalhado pelo telefone. Ao terminar, pegou sua pipoca e resolveu então repetir para sua amiga, tudo o que havia sido passado pelo telefone, de como havia sido a operação de implante de silicones de sua irmã e de com ela se recuperava bem, no quarto. Quase perguntei se ela estava morrendo por excesso de gostosura ou de feiura, mas resolvi manter minha educação britânica.

E nessas horas que eu digo....as vezes é melhor ficar mesmo em casa usando a internet, pois pelo menos você pode selecionar o tipo de pessoas com as quais compartilha esse ambiente. Educação é algo que vêm de casa e não podemos mesmo exigir que todos a tenham. Chegamos a um ponto em que ser mal educado é o padrão, e você se torna chato por exigir que as pessoas não invadam o seu espaço individualizado (que eu chamo de bolha pessoal)

Beijos de algúem que foi e voltou ao inferno duas vezes....e nem sequem um bronzeado pegou.

2 comentários:

Rosalvo Streit disse...

Tadinho!
fiquei com pena..
e consegui enxergar toda cena, vc irritadíssimo com a velha... uhauhauhauhauha

Denise disse...

ahahahahha melhor "desindicação" de filme que já vi:"aproveitei o tempo para arrumar mochila..."rindo muito!!
bjoss

Postar um comentário

Escreva o que quiser, mas lembre-se que não sou um vaso sanitário :)

  ©Inconsciente Aberto - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo